Foco e Saúde - Como perdi 70 kgs

Como perdi 70Kgs em 1,5 anos

Por Maria Rita Toledo
 
Assim como ocorre com todos nós, meu corpo me deu vários sinais de que precisava de ajuda.
 
Em 2005, os primeiros sinais vieram com quadros de insônia. Tinha sono somente após as cinco da manhã e não podia dormir, pois trabalhava.
Após isso entrei num estado de estresse e a ansiedade e adivinhe: muita vontade de comer.
 
E comia muito... e errado – um prato de pudim num dia, 10 pães francês com todos ingredientes não saudáveis no outro, como:
Margarina, tomate com sal, presunto e queijo, maionese no lugar da margarina e, claro tudo acompanhado com um refrigerante de 2 litros.

 

Em 2010, meu corpo ainda me dava sinais negativos e comecei a sentir muito mal-estar.
 

Vomitava por qualquer coisa que comia
 

Ficava com sensação de desmaio
Tinha tontura, sono fora de hora e assim por diante.
 
Quando vomitava, fazia um prato de miojo com caldo e comia para me sentir melhor. Ou comia um monte de sorvete e achava que o mal-estar tinha passado, mas após isso, sentia muito sono o que me levou a deduzir que estava no caminho certo.
 
Será???
E assim toda vez que me sentia mal comia sorvete ou miojo.
 
Em meados de 2010, chegou a depressão. Sem motivo nenhum comecei a me sentir triste, desamparada.
Passava o dia chorando.
Não abria sequer as janelas porque tinha medo. Sem motivo aparente, o medo era apavorante.
Não ia trabalhar.
Não tomava banho.
Não tinha mais contato com as pessoas.
chorava.
Fiquei, totalmente sedentária.
 
No final do ano uma amiga médica me levou para uma consulta ao psiquiatra e a depressão em alto grau foi constatada.
Passei a fazer terapia e fiz alguns exames, onde os resultados foram preocupantes:
Glicose 1.100
Pressão alta 21x18/mmHg
Colesterol 500
 
Eu tinha virado uma bomba prestes a explodir. Passei então a tomar 2 comprimidos para o colesterol, 6 para diabetes e 3 para hipertensão, ou seja ingeria 11 comprimidos por dia, fora o remédio da depressão e da insônia.
 
Mesmo com tudo isso não queria fazer dieta ou cuidar de mim. Emagreci 6kg por conta do diabetes, mas quando o organismo se acostumou, voltei a engordar.
 
Em 2014 eu estava com 140kg com apenas 1,50m. Não andava direito. Não abaixava. Não subia escada ou rampas. Estava ficando com problemas no joelho.
 
E o MAIOR SUSTO:
Tive um AVC isquêmico - Acordei de boca torta, olho caído e um lado do corpo meio adormecido.
 
Primeira sensação: VOU MORRER!!!  E já que vou morrer “deixa a vida rolar”. Continuei sedentária, e comendo do mesmo jeito. Certamente um GRANDE ERRO!!!
 
Em 2015 cheguei a pesar incríveis 147kg.
Neste momento resolvi moderar um pouco a boca, porque:
Não conseguia mais colocar o tênis, nem sentada
Não conseguia tirar o sapato, vestir calças ou coçar as costas
Tive também um problema nas mãos, elas inchavam e doíam. “Tenossinovite de Quervain” foi o diagnóstico, compressão dos tendões principais da mão por excesso de gordura, a dor era terrível.
 
BASTA!!!!! Não aguentava mais!!!!!
Em outubro de 2015 fechei a boca e perdi peso por conta própria. Mas me sentia mal, porque fazia tudo errado. Voltei aos 140kg e não me sentia melhor mesmo tendo perdido 7kg.
 
Em novembro de 2015, conheci a minha atual Nutricionista, Caroline Junqueira Barcellos Leite que pediu que eu fosse ao seu consultório. Respondi que não iria porque não gosto de passar fome. Não faço regime.
Ela então me explicou que não passaria fome de jeito nenhum.
 
Comecei minha reeducação alimentar. Sem passar fome, me entusiasmei  e segui direitinho.
No Natal já tinha perdido 7kg. Eu achava que o emagrecimento estava lento. Eu queria emagrecer logo
 
Nesse momento, minha Nutricionista sugeriu que eu fizesse atividade física.
Foi aí que comecei com a academia, mas na maior má vontade do mundo.
Andava devagar na esteira e ficava esbaforida.
Nos aparelhos de perna eu ia mal.
Como gostava de fazer força com os braços, estes eu fazia direitinho, e assim fui emagrecendo, me alimentando corretamente 5 vezes ao dia sem passar fome.
 
Segundo minnha Nutricionista Caroline Junqueira, a reeducação alimentar não é “regime”. É uma conscientização do que você deve e não deve comer e da quantidade de comida que você deve ingerir.
 
Aos poucos, e conforme você vai entendendo isso, você começa a buscar por si mesma uma alimentação mais saudável, seu cérebro para de te mandar sensação de fome, e você entra na linha.


Estamos em março de 2017 perdi INCRÍVEIS 70Kgs em um ano e quatro meses. Vou à academia de segunda a sexta (por opção)
Corro na velocidade 11 na esteira no mínimo meia hora.
Faço mais 50 minutos de funcional intercalado com aeróbica. Devo acrescentar que tenho uma Personal Trainer que me acompanha e que é importantíssima na minha reeducação física.
 
Ando e não me arrasto mais, corro, coloco a palma das mãos no chão sem flexionar os joelhos e subo em qualquer lugar.
Ainda não cheguei ao peso ideal, mas vou chegar!!!
 
Se cometo um excesso alimentar, não me sinto culpada. O importante não é o que você come um dia e sim o que você come todo dia, portanto, às vezes me dou ao luxo de comer uma sobremesa, tomar uma cerveja, ou comer uma feijoada.
 
Mas....
- E o Diabetes?
- E a Hipertensão?
- E o Colesterol?
 
Mudaram de endereço desde novembro de 2016. Minhas taxas são mais do que normais. Diria que aos 60 anos me sinto com 20, e isso é muito bom!
 
Dou o maior apoio a quem busca uma vida saudável, uma alimentação saudável. Uma guinada dessa na vida, se eu com 59 anos dei, qualquer um pode dar, basta querer!!!
 
Essa é minha história de vida.
 
Com muito orgulho,
 
Maria Rita de Toledo